Arquivo da categoria: Política

John Locke: Do contrato social ao Empirismo

Entenda a filosofia de John Locke, suas concepções políticas e epistemológicas.

Videoaula sobre o conceito de cidadania (2)

Nesta videoaula de Sociologia, será explicado um conceito de suma importância para as relações sociais: a cidadania.

 

Videoaula sobre o Contratualismo

Neste vídeo, o Prof. Matheus Passos apresenta as principais características do Contratualismo. O objetivo é deixar claro três aspectos centrais do Contratualismo para o posterior entendimento do pensamento político de Hobbes, Locke e Rousseau.

Zygmunt Bauman – A modernidade líquida

Neste vídeo, são apresentados os principais conceitos e a análise que Bauman faz da vida contemporânea.

O que estuda a Ciência Política?

Calma, não é porque tem política no título do vídeo que terá polarização ou expressão de opinião! Na tentativa de instrumentalizar melhor alguns conceitos, apresenta-se esse apanhado sintético dos principais objetos da Ciência Política.

Violências Estruturais – O que são?

Você já ouviu falar em violências estruturais? Elas também são chamadas de violências silenciosas ou cotidianas. Isso porque são atos praticados contra o cidadão, principalmente o mais pobre. De tão arraigados em nosso cotidiano, esses atos mal são percebidos, ao contrário da violência física. O núcleo de conteúdos especiais da Rede Minas de Televisão preparou uma série de quatro episódios sobre o assunto. Neste primeiro, entenda o que são essas violências estruturais, e porque elas são flagrantes no Brasil. Pensadores como Eric Nepomuceno (escritor), Luiz Ruffato (escritor), Joviano Mayer (advogado) e Maria Fernanda (professora da UFMG) constroem uma análise sobre essas questões.

Videoaula sobre o contrato social em Rousseau

Texto do Professor Anderson Pinho (Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=cCMebudVJss&feature=emb_logo) Jean-Jacques Rousseau (1712-1778) nasceu em Genebra e era filho de franceses calvinistas que fugiram da França por causa das perseguições. Foi talvez o único filósofo iluminista que não nasceu em berço de ouro. Desde muito cedo teve que trabalhar para se sustentar, e em 1742 vai para a França em busca de se destacar profissionalmente como professor de música. Rousseau era um Homem inteligente e escrevia sobre muitos assuntos. Ele escreveu sobre música, poesia, mas foi com Discurso sobre a origem e a desigualdade entre os homens (1755), O contrato social (1762), e Emílio (1762), que Rousseau deixou seu nome marcado na história como um grande filósofo, influenciando com suas ideias os rumos da França e do mundo ocidental por conseguinte. Essas três obras são um todo que formam o seu pensamento político. Suas obras eram tão radicais que ele recebia críticas severas até mesmo de outros filósofos iluministas, principalmente de Voltaire que dizia que se fossemos dar ouvidos a Rousseau teríamos que voltar a andar de quatro. Rousseau é também um grande contratualista, ele escreve sobre a origem do Estado seguindo o mesmo caminho de Hobbes e Locke, mas diverge totalmente de ambos.

Videoaula sobre Karl Marx (1)

Texto do Professor Anderson Pinho (Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=HGwBJ-GY2rU&feature=emb_logo) Karl Marx nasceu em Trier, em 15 de maio de 1818, filho de Heinrich, advogado, e de Henriette Pressburg, dona de casa. O pai e a mãe de Marx eram de origem judaica. Em 15 de abril de 1841 laureou-se em filosofia, em Berlim, com a tese intitulada Diferença entre a filosofia da natureza de Demócrito e a de Epicuro. Após o caminho universitário, Marx passou ao jornalismo, tornando-se redator da “Gazeta Renana”, órgão dos burgueses radicais da Renânia. Em pouco tempo, Marx tornou-se redator-chefe do jornal. Entretanto, em 21 de janeiro de 1843, o jornal foi oficialmente interditado. Nesse período, Marx estudou Feuerbach, e ficou entusiasmado. No verão de 1843, escreveu a Crítica do direito público de Hegel, cuja introdução foi publicada em Paris, em 1844, nos “Anais franco-alemães”, fundados por Ruge, que convidou Marx para ser co-diretor. Em Paris, Marx entrou em contato com Proudhon e Blanc, encontrou Heine e Bakunin e, sobretudo, conheceu Friedrich Engels, que seria seu amigo e colaborador por toda a vida.